↑ Retornar para Plantas medicinais

Plantas medicinais do cerrado de Pirenópolis

 

         O cerrado é uma farmácia tão rica que quase não acreditamos no seu potencial, a diversidade de plantas com propriedades terapêuticas está longe de ser conhecida pelo homem, a cada dia aparecem novas plantas ou melhor  plantas antiqüíssimas que estão abundando nesta natureza exuberante e frágil.

         É urgente a criação de políticas e práticas que visem a  preservação dos campos do cerrado, medidas simples, que só precisa não interferir, não mexer, deixar como está. Nada de pastagens, gado, lavouras, reflorestamentos, permitir que os campos, os jardins do cerrado permaneçam  intactos, pois nestes campos encontram-se riquezas naturais, que podem salvar vidas.

          A lista das plantas medicinais do cerrado é imensa, escolhi algumas que são características da serra dos Pirineus, várias já se encontram ameaçadas e difíceis de encontrar. São plantas delicadas, que precisam de condições de solo e clima específicos. O cerrado é assim, quanto menos interferir melhor, pois a natureza recupera rápido.

Algumas plantas do cerrado: Indicações e Uso Medicinal:

Carobinha: Chá das folhas é depurativo do sangue e combate diarréia amebiana.

Perobinha: Chá das folhas é diurético.

Perpétua do mato: Infusão da folhas é diurético.

Ponta de lanceta: As folhas fervidas, são depurativas para tratar feridas e úlceras.

Cajuzinho do campo: Chá das folhas é usado no combate a diarréias.

Angico: A casca da madeira é usada em banhos para curar feridas, é cicatrizante.

Sucupira branca: A casca da madeira é empregada em casos de diabete crônica. As sementes são anti-febrifugas e depurativas.

Mamacadela: As raízes fervidas e espremidas são empregadas no combate ao vitiligo. Passa-se sobre a pele com as manchas e proteja-a da luz solar.

Pequi: O mesocarpo do fruto (a casca) é empregado no combate a gripes e resfriados.

Roxinha: As folhas maceradas são usadas como anti-séptico para feridas.

Copaíba (pau dóleo): Óleo usado em pequenas doses, como antiinflamatório e estimulante. Usar 1 gota para cada 10 quilos de peso.

Pé de perdiz: Chá das folhas e raízes para o tratamento de doenças venéreas, erupções e ulceras.

Cipó caboclo: Infusão das folhas, em forma de banhos, para inchaços e ulceras.

Centáurea do brasil: Chá das raízes amargas é tônico e anti-febrífugo. Também é vermífugo.

Faveira: Os frutos possuem rutina, que favorece a circulação, quando associado a vitamina C.

Baru: Óleo das sementes é empregado como anti-reumático.

Cagaiteira: Infusão das folhas é anti-diarréica. O fruto é laxante.

Jurubeba: O fruto e as raízes são usados para distúrbios hepáticos e digestivos, também combate anemia.

Assa-peixe branco: As folhas e os brotos são usado em casos de bronquites e asma.

Autor: Wellington Lee Schetinger